sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Tons de Outono.

Em jeito de preguiça, em jeito de lamento,
Move-se em murmúrios e lenta dança, o vento.
Tão tímido já o sol, relutante em se mostrar,
Mas quando o faz é de encanto, o seu modo de pintar.
Ora laranja, ora ouro, ora vermelho, ora castanho,
Ou todas as cores em mistura, como esta folha que apanho.
Aproximo-a do rosto, sinto-lhe o cheiro da estação da melancolia.
Caminho na berma e não a largo da mão, um sorriso, sigo serena, vai findando o dia.