segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O espelho...

Em algum momento, já toda a gente olhou para o espelho e se perguntou quem seria a pessoa nele refletida. Em algum momento, toda a gente já evitou, ao menos uma vez, enfrentar o próprio reflexo. Ou porque não estava para aí virado, ou porque não queria entrar num daqueles monólogos que trazem á baila mais perguntas que respostas. Enfrentar o espelho é mais difícil do que parece, mesmo quando nos sentimos cheios de auto estima, pois há a tendência inata de encontrarmos sempre um ou outro senão. Mas, deverá isso impedir de confrontar o outro eu, que nos olha fixamente do outro lado de um pedaço de vidro? E o que se pode chamar de espelho afinal? Para alivio de quem passa rápido em frente a tudo que lhe possa devolver a imagem, existe sempre o chamado espelho humano, e talvez o melhor de todos, ou seja, o semelhante que se cruza connosco ao longo dos dias, dos meses, dos anos, da vida em geral, desde o simples individuo que se esbarra connosco na rua, até àquele que faz totalmente parte integrante da nossa vida. Esses sim são os espelhos mais fieis a devolver a imagem daquilo que realmente somos, nem sempre o mais fácil, mas o mais gratificante e o que nos faz sentir mais conscientes do que há a manter e do que há a mudar. Contudo, ficarmos a sós com nós mesmos também é bom, em frente do dito pedaço de vidro, mas só depois de trabalharmos a parte em que nos aceitamos para poder olhá-lo nos olhos e...sorrir, ou chorar, mas, sem medos.

5 comentários:

  1. Muito intelegente.ás vezes precisamos de olhar para nós mesmos.
    ASS: Corvo

    ResponderEliminar
  2. Texto bonito e verdadeiro, na minha opinião. Penso que para estarmos bem com os outros e com o mundo, precisamos estar bem connosco primeiro! A imagem refelectida, temos sempre que gostar dela!!!!

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

Diz o que pensas!