domingo, 9 de janeiro de 2011

Bruma...

O inverno é mais frio na penumbra que cobre o meu espaço. Olho além, num esforço de desviar a atenção das palavras que aparecem escritas no meu rosto pálido do frio. Não posso gritar ou murmurar que sinto a tua falta, porque não devo acordar os lobos. Estou a tentar não marcar a neve por onde passo, leve como uma pena, para que se me perca o rasto. Que posso fazer? Abro as asas na direcção do céu e pergunto: " Para que serve a imortalidade longe de ti? ", mas, novamente ao sentir o frio percorrer-me é que me apercebo que já não sou mais imortal. O inverno é mais frio na bruma que oculta o meu mundo, mesmo assim atravesso, como quem atravessa o tempo, deixo-me embrenhar na força que me puxa para lá. Tiveste a oportunidade de me salvar , tive oportunidade de te salvar, mas anjos caídos não são mais imortais que os humanos.

1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar

Diz o que pensas!